07 janeiro, 2009

Carroça

Certa manhã, meu pai me convidou a dar um passeio na roça, e fomos. Era uma manhã linda, ensolarada, o cheiro de orvalho e terra molhada.

Paramos num rancho e depois de um pequeno silêncio ele perguntou:

- Filho, além do cantar dos pássaros, você ouve mais alguma coisa?

Apurei meus ouvidos e alguns segundos depois respondi:

- Estou ouvindo o barulho de uma carroça, pai.
- Isso mesmo – ele respondeu - é uma carroça vazia!

Então, perguntei ao meu pai:

- Como o senhor pode saber se é uma carroça vazia, se ainda não a vimos?

E ele respondeu:

- É muito fácil saber que uma carroça está vazia meu filho, preste atenção ao barulho que ela faz. Quanto mais vazia a carroça, mais barulhenta ela é.

Hoje, adulto, quando vejo uma pessoa falando demais, gritando para intimidar alguém, tratando o próximo com grossura, palavras e argumentos vazios e de forma inoportuna, prepotente, interrompendo a conversa de todo mundo e querendo demonstrar que é a dona da razão e da verdade absoluta, tenho a impressão de ouvir a voz de meu pai dizendo:

- Quanto mais vazia a carroça, mais barulho ela faz.

Um comentário:

Pesquisar neste blog

Postagens populares